Translate

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Homens do Brasil: "Não colaboro com inimigo".


Parabéns José Conegundes! 
Servimos à nação, não aos governos.

O tenente da reserva do Exército José Conegundes do Nascimento, que atuou na repressão à Guerrilha do Araguaia, foi convocado no último dia 29 a prestar depoimento na sede da Comissão da Verdade, em Brasília. Ele, porém, devolveu o ofício em 3 de setembro com um recado escrito de próprio punho:
“não vou comparecer. Se virem. Não colaboro com o inimigo” (
veja a reprodução do documento ao final).
Além de Conegundes, o general do Exército José Brandt Teixeira também se recusou a comparecer.
O colegiado tenta durante esta semana convocar novamente oito militares que já se recusaram a prestar esclarecimentos sobre eventuais episódios de tortura cometidos por agentes do Estado. Três deles – o coronel Sebastião Rodrigues de Moura, conhecido por Major Curió, o coronel Leo Frederico Cinelli e o sargento Ênio Mandetta – alegaram problemas de saúde, por isso a comissão está negociando colher os depoimentos em casa.
Estavam marcadas para esta segunda-feira (8) as oitivas de cinco testemunhas, mas apenas o general de brigada Ricardo Agnese Fayad compareceu. Ele, porém, permaneceu em silêncio e não respondeu a nenhum dos questionamentos feitos pela comissão.
Folhas de alteração
O coordenador da CNV, Pedro Dallari, disse que a comissão conseguiu obter junto aos comandos do Exército, da Aeronáutica e da Marinha as folhas de alteração de 115 militares – documentos que mostram o histórico da vida funcional dos oficiais, desde diárias pagas pela corporação até o registro de viagens.
O documento vai ajudar a cruzar informações colhidas em depoimentos com os registros oficiais dos comandos militares. Entre os 115 oficiais, estão o tenente-coronel Paulo Malhães – que foi encontrado morto após prestar informações à comissão – e o coronel Wilson Machado – acusado de participação no atentado do Riocentro, em 1981.
Há um ano a comissão tentava ter acesso às folhas de alteração. “É muito importante porque registra passo a passo toda a trajetória funcional de um militar”, explicou Dallari. “Havia sistematicamente uma resistência ao fornecimento, recorremos então ao ministro da Defesa, que nos forneceu”.
Documento com a convocação do tenente da reserva José Conegundes do Nascimento e a resposta, dele, manuscrita, informando que não compareceria (Foto: Reprodução / Comissão da Verdade)Documento com a convocação do tenente da reserva José Conegundes do Nascimento e a resposta, dele, manuscrita, informando que não compareceria (Foto: Reprodução / Comissão da Verdade)

Nenhum comentário: