segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Helicóptero com cocaína é da família do senador Zezé Perrella


O helicóptero que foi apreendido neste domingo (24) em Afonso Cláudio, no Espírito Santo, pertence à família do senador Zezé Perrella (PDT). A informação foi dada pela Junta Comercial de Minas Gerais e confirmada pelo advogado da família. No entando, a defesa afirma que a responsabilidade pelo crime é do piloto da aeronave, que a teria usado sem permissão.
A Polícia Militar (PM) apreendeu mais de 400 quilos de cocaína dentro da aeronave, na Região Serrana do estado capixaba. Quatro pessoas foram presas, entre elas o piloto. A operação descobriu que traficantes estavam usando um helicóptero para transportar concaína para dentro do Espírito Santo.  A aeronave em questão saiu de São Paulo.
No momento da chegada da polícia, os cerca de 455 quilos de drogas já estavam prontos para serem despachados em dois carros. Também foram apreendidos R$ 16 mil que, segundo a polícia, era fruto da venda da droga. "A gente acredita que uma parte da droga possa ser desmembrada, para ser vendida no Espírito Santo, e uma grande parte que vai para o tráfico de drogas internacional, sendo exportada para a Europa", falou o major Santiago, da Polícia Militar daquele estado.
De acordo com a polícia, há 20 dias já estava sendo investigada a movimentação na propriedade rural, mas a presença do helicóptero chamou a atenção. "Era uma coisa totalmente inesperada, em um local ermo e de difícil acesso, um helicóptero chegando na nossa região sem ninguém ter conhecimento. A maioria das aeronaves que vem para a região é para trazer autoridades ou algum visitante, mas tudo é avisando com antecedência", explicou o major Santiago.
O advogado da família Perrella, Antônio Castro, confirmou que o helicóptero é da Limeira Agropecuária, empresa que pertence aos filhos de Zezé Perrella, e afirmou que a responsabilidade pelo crime é do piloto.
De acordo com o advogado, o piloto tinha a chave da aeronave e agiu de forma indevida, sem autorização da empresa. Antônio Castro disse também que a empresa não costuma fazer rotas que ligam São Paulo ao Espírito Santo, e que a família vai tomar as medidas necessárias para ter de volta o helicóptero.
A reportagem não identificou o advogado do piloto. Assim que o contato for estabelecido, a posição oficial dele será registrada nesta reportagem.

Nenhum comentário: