Translate

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Campos de trabalho escravo na China. Por isto que o PIB de lá cresce tanto. E Palocci quer nos transformemos na China Comunista. Não comprem produtos chineses.


Mulher de Oregon encontra carta escondida na caixa de brinquedos selado, de um trabalhador chinês de um campo de trabalho forçado, pedindo ajuda.

O Observador dos Direitos Humanos (Human Rights Watch) diz que as denúncias feitas na carta, conferem com o que eles já sabem sobre as condições de trabalho em campos de trabalho forçado na China.


Julie Keith, de 42 anos,ela encontrou em um kit cemitério de Halloween do Kmart. Na carta, o autor denuncia para tentar pôr fim ao ambiente de trabalho desumano e acabar com os campos de trabalho forçado na China.

"Se você ocasionalmente comprar este produto, por favor, reenvie esta carta para a Organização Mundial de Direitos Humanos", diz a carta.



Quando Julie Keith abriu essa caixa de decorações de Halloween, ela encontrou uma carta pedindo ajuda.

"Milhares de pessoas aqui que estão sob a perseguição do Governo do Partido Comunista Chinês irão agradecer e lembrar de você para sempre."



A carta foi escrita em Inglês, mas não foi assinada. Caracteres chineses são misturados com o texto em Inglês ordenados e  escrito.

Keith diz que encontrou a carta selada dentro do interior do celofane do kit cemitério. Ele foi dobrado em oito partes e preso no isopor.

O autor da carta explica que o brinquedo de Halloween foi feita na unidade 8, departamento 2 do Campo de Trabalho Masanjia em Shenyang, China.

"As pessoas que trabalham aqui têm que trabalhar 15 horas por dia, sem folgas nos sábados, domingos e feriados. Caso contrário, eles vão sofrer (castigo), agressões físicas e observação dura. Recebem quase nenhum pagamento (10 yuan(US $ 1,60) / 1 mês). "

A Human Rights Watch também viu a nota.

Há dezenas de anos existem campos de trabalho por supostos desordeiros e perseguidos políticos na China.
Trabalhadores são condenados a anos de trabalho sem acusação formal ou julgamento.

O campo de trabalho Masanjia está localizado na província de Liaoning, no nordeste da China.

É claro que a investigação pode demorar, mas as mercadorias feitas em um país estrangeiro e importadas para os Estados Unidos não podem, por lei, ser produzidas em campos de trabalhos forçados ou prisões.

"Todos os bens, mercadorias, artigos e mercadorias extraídos, produzidos ou fabricados no todo ou em parte, em qualquer país estrangeiro condenado por trabalho e / ou trabalho forçado e / ou trabalho escravo sob sanções penais não terá direito a entrada em qualquer um dos portos dos Estados Unidos ", diz Título 19, seção 1307 do Código dos EUA.

Sears Holdings Corporation, que opera Kmart, disse em um comunicado que trabalha "para garantir que os fornecedores e fábricas produtoras de mercadoria para a nossa empresa atendam aos requisitos do programa específico, e todas as leis locais relativas a normas de trabalho e práticas de trabalho."

"Entendemos a gravidade desta acusação, e vamos continuar a investigar".

Por sua parte, Keith disse que quer lembrar as pessoas a prestar atenção para onde - e, potencialmente, como - as mercadorias acabam nas prateleiras.

"Se eu realmente não preciso disso, eu não vou comprá-lo se ele é feito na China", disse ela. "Isso realmente me fez mais consciente. Espero que isto faça a diferença. "



Palocci: Brasil tem que ser igual à China

No atual contexto de crise financeira, o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci diz que Brasil precisa seguir mais os passos da China. Ou seja , criaremos campos de trabalho forçado por aqui.



Nenhum comentário: