terça-feira, 15 de outubro de 2013

Receita assassina - dose prescrita de 24 comprimidos (8/8h por 8 dias) é 380% acima da dose máxima recomendada.PADILHA SE CALA.



"MAIS MÉDICOS" DÁ RECEITA MORTAL PARA PACIENTE: MINISTÉRIO DA SAÚDE TENTA NEGAR RESPONSABILIDADE MAS É DESMENTIDO POR INTERNAUTAS. PADILHA SE CALA.

Estes são os resultados da primeira semana do Mais Médicos em alguns Estados. Atestados que circulam na rede mostram prescrições absurdas, algumas inclusive que colocam em risco a vida do cidadão, como a atribuída ao intercambista ("médico") Juan Pablo Cazajus, registrado no Cremers como "PMM" (Programa Mais Médicos) 038128, que teria  prescrito dose de azitromicina 380% superior à recomendada para os casos mais importantes.

Divulgado na internet há 72h, a foto da receita se transformou em um viral e rapidamente usuários não-médicos começaram a questionar o Ministro Padilha (@padilhando) e o Ministério da Saúde (@minsaude).

A receita assassina - dose prescrita de 24 comprimidos (8/8h por 8 dias) é 380% acima da dose máxima recomendada.

Para surpresa geral, o Ministério da Saúde em seu perfil oficial no twitter NEGOU que o médico prescritor fosse pertencente ao Mais Médicos, mas como mentira tem perna curta, rapidamente foi desmentido, com usuários mostrando o registro do intercambista junto ao CREMERS.

Este blog viu que na verdade existe até matéria da Prefeitura de Tramandaí-RS noticiando com alvíssaras a chegada do médico Juan Pablo Cazajus à cidade. Pego na mentira, o Ministro Padilha e o Ministério da Saúde se calaram e apagaram todos os posts, mas obviamente temos as cópias deles, abaixo expostas.

A Presidente Dilma também não se pronunciou. Vale lembrar que o CREMERS só emitiu esse registro por coação judicial promovida pela AGU. Este blog acha que se o/a paciente sofrer algum mal devido ao uso da receita mortal, devem ser responsabilizados além do intercambista o Ministro Padilha, o Ministro Adams (AGU), a Presidente Dilma e o Juiz de primeira instância que forçou o CRM a dar o registro, bem como todos os deputados que votaram a favor desse crime contra a nação.

Pelo visto, além do intercambista, o Mais Médicos vai ter que fornecer uma unidade do CEATOX (Centro de Assistência Toxicológica) para os municípios participantes do projeto assassino de Padilha.



Nenhum comentário: