sábado, 11 de maio de 2013

Vacina pode até matar! Vai nessa?


Vacinação H1N1 na Noruega: 801 incidentes, 201 casos sérios de reações adversas e 10 mortes, segundo a Agência Médica Norueguesa

No ano passado, o programa de vacinação em massa contra a gripe suína na Noruega causou a morte de 10 pessoas.
Segundo dados divulgados pela Agência Médica Norueguesa, a vacina Pandemrix causou 801 incidentes relatados de efeitos colaterais. As autoridades de saúde consideraram 201 destes casos como graves.
Entre outros sintomas, os pacientes experimentaram reações alérgicas severas e caimbras. Mas talvez o mais grave foram os que sofreram da síndrome de Guillain-Barré, que causa paralisia ascendente progressiva das pernas. Também pode afetar os braços e parte superior do corpo, e na pior das hipóteses pode paralisar os músculos respiratórios.
A vacina também afetou as mulheres grávidas e crianças. Houve 16 casos de abortos, morte fetal, ou natimorto. 58 crianças foram também internadas para observação devido a desmaios, febre, fadiga, perda de apetite e desidratação.
Cerca de dois milhões de pessoas foram vacinadas contra a gripe suína no ano passado, a agência diz que está investigando todos os incidentes.
De acordo com um outro jornal O aftenposten (link para o google translate em inglês),a vacina causou mais mortes do que o vírus H1N1 até agora. A vacina Pandemrix é a mesma vacina da GSK distribuída no Brasil. O jornal disse que esta vacina é a mais perigosa, mas que o governo Noruegues detêm mais de 9 bilhões em ações desta empresa.
O Aftenposten diz ainda que na Suécia houveram 20 mortes e 22 abortos em conexão com a vacina.
Este mesmo jornal mencionou que a editora do Jornal da Associação Médica da Noruega, a virologista Charlotte Haug, foi uma das poucas céticas em relação a pandemia no ano passado. Parabéns para a Charlotte!
Então eu pergunto, como o Ministério da Saúde ainda vem com a ladainha de que mais de 300 milhões de pessoas foram vacinadas no hemisfério norte e não houve nenhuma morte relacionada com a vacina?

Nenhum comentário: