terça-feira, 21 de maio de 2013

Governo nazi-fascista brasileiro. Caos e terror. Bolsa Família: saques serão mais monitorados. E a Casa Civil negou o acesso de informações do processo que apura conduta da ex-chefe do gabinete da Presidência de SP.

 Bolsa Família: saques serão mais monitorados.

O governo federal passará a fazer um monitoramento "mais fino" dos saques feitos por beneficiários do programa Bolsa Família durante os finais de semana. Segundo a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, a medida vai se somar a outros mecanismos de controle do pagamento dos benefícios. 


Desde a última segunda-feira, o governo discute formas mais rápidas de entrar em contato com os beneficiários do programa, por exemplo, com o envio de mensagens por telefones celulares.

“Hoje já temos condições de acompanhar qualquer coisa que aconteça no Bolsa Família, em qualquer lugar do país. Infelizmente, como nunca tínhamos tido esse tipo de situação e como a boataria se espalhou durante o fim de semana, infelizmente não pudemos dar esse apoio à população”, disse Tereza.

A ministra também voltou a afirmar que o governo federal jamais cogitou extinguir o programa de transferência de renda que beneficia 13,8 milhões de famílias e que, este ano, quando completa dez anos, conta com um orçamento de R$ 24 bilhões. Tereza aproveitou para pedir que as famílias mantenham atualizados seus cadastros, informando inclusive o número de telefones de contato.

“A população tem que se tranquilizar, seguir o calendário. Garantimos que os pagamentos continuam acontecendo normalmente”, acrescentou a ministra, lembrando que a origem dos boatos de que o governo federal extinguiria o programa ou de que um bônus pelo Dia das Mães estaria sendo pago apenas até domingo está sendo investigada pela PF (Polícia Federal). O inquérito foi aberto ontem por determinação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Desorganizar e desestabilizar o Bolsa Família não pode interessar a ninguém. Os principais prejudicados foram as famílias”, concluiu. 

Esqueceu que o Gilberto de Carvalho falou? Palavras dele: " Em 2013, o bicho vai pegar"


E ele mesmo, que é o chefe da casa civil negou as informações sobre Rosemary Noronha


A Casa Civil da Presidência da República negou ao MPF-SP (Ministério Público Federal em São Paulo) o acesso às informações sobre o processo de sindicância instaurado no órgão para apurar a conduta de Rosemary Noronha, ex-chefe do gabinete da Presidência em São Paulo. 


Após o anúncio da medida, o MPF afirmou que “tomará as providências cabíveis, sendo certo que a mesma constitui um sério obstáculo ao pleno conhecimento dos ilícitos praticados por Rosemary”. 

Por meio de ofício enviado em 24 de abril ao chefe do Gabinete Pessoal da Presidência da República, o procurador da República José Roberto Pimenta Oliveira havia requisitado cópia integral do processo administrativo para fins de instrução de Inquérito Civil Público que trata da eventual participação da ex-chefe do Gabinete Regional da Presidência da República em São Paulo nos fatos descobertos na Operação Porto Seguro, realizada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal.

Rosemary já é alvo de ação penal ajuizada pelo Ministério Público Federal em dezembro de 2012 por falsidade ideológica, tráfico de Influência, corrupção passiva e formação de quadrilha. Os crimes teriam sido praticados no exercício de suas atribuições como chefe do gabinete. 

Ao negar o pedido de informações do MPF-SP, a Subchefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil informou que “o chefe do Gabinete Pessoal da Presidência da República não tem competência para prestar a informação requisitada”. 

Ainda de acordo com o documento, “requisições” do Ministério Público “quando tiverem como destinatário o Presidente da República” deverão ser “encaminhadas e levadas a efeito pelo Procurador-Geral da República ou outro órgão do Ministério Público a quem essa atribuição seja delegada”.

Em nota do MPF, eles rebatem a postura da Casa Civil. “De acordo com a lei, a autoridade que tiver ciência de irregularidade no serviço público é obrigada a promover sua apuração imediata, mediante sindicância ou processo administrativo disciplinar”, diz a nota. 

Além de Rosemary Noronha, outras 23 pessoas foram denunciadas criminalmente por envolvimento com uma organização criminosa que favorecia interesses de particulares perante a Administração Pública.

Nenhum comentário: