Translate

sábado, 25 de agosto de 2012

Absurdo! Aeronáutica abandona buscas por monomotor desaparecido entre o RJ e SP!! Ei pessoal do CINDACTA: usem as imagens de satélite, só usariam se fosse de um brigadeiro ou da NOMENKLATURA do PT?

A Aeronáutica abandonou as buscas pelo avião monomotor que desapareceu na terça-feira com duas pessoas à bordo entre o Rio de Janeiro e São Paulo. 

Segundo a FAB, são remotas as chances de encontrar os ocupantes da aeronave com vida. 

Os trabalhos de localização são feitos agora apenas por um barco da Marinha, que cobre a área da Barra da Tijuca até Paraty, no Rio de Janeiro. 
http://cbn.globoradio.globo.com/editorias/reporter-cbn/2012/08/24/AERONAUTICA-ABANDONA-BUSCAS-POR-MONOMOTOR-DESAPARECIDO-ENTRE-O-RJ-E-SP.htm

Aí em baixo estão imagens de satélite para vocês verem do que falo.




Dá prá ver em alta resolução. E é em imagens abertas ao público.

http://jardelscorner.com.br/artigos/imagens-satelite-alta-resolucao-navegador

Poderia ser feita uma sequência seguindo o avião até o ponto onde ele desapareceu e daí ampliar as buscas, plotando o mapa.

Vocês não vivem monitorando queimadas em florestas de todo o Brasil 24h por dia?

Por que quando tem um incidente com um avião pequeno ficam colocando dificuldades?

Só por que não tem a alta canalha do PT? A Nomenklatura?

Imaginem o poder de resolução de um satélite militar!!!

Ou vocês pensam que somos idiotas?

Usem isso CINDACTAS!!!

Órgãos do governo federal, instituições de pesquisa e usuários não comerciais passaram a ter acesso, partir desta semana a imagens de satélite em alta resolução para fins de monitoramento de desastres ambientais, levantamento de recursos naturais e elaboração de cartas e mapas.
O recurso está disponível no portal  Alos (Advanced Land Observing Satellite) lançado oficialmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em sua página na internet. A iniciativa resulta de acordo de cooperação científica firmado em 25 de outubro de 2006 entre o IBGE e a Agência Espacial Japonesa (Jaxa), que criou o Alos e montou uma rede mundial de distribuição de dados com base em diversos países.
O diretor do Departamento de Geociências do IBGE, Luís Paulo Souto Fortes, disse que a entrada em operação do satélite no Brasil  "vai subsidiar o IBGE na melhora do conhecimento do território, através da produção de cartas e mapas atualizadas de todo o território nacional".

Fortes destacou a aplicação do recurso na área de meio ambiente, por meio da obtenção de imagens de alta resolução, com o uso de um  sensor multi-espectral, que vai contribuir especialmente para a região amazônica.
"O problema histórico que existe no mapeamento da Amazônia é uma permanente cobertura de nuvens, o que impossibilita a fotografia aérea do território e a captação por sensores orbitais, ou seja, a partir de satélites usando sensores óticos. Na medida em que a gente utiliza um sensor de radar, o sinal penetra nas nuvens e é possível obter uma imagem excelente do território", explicou.
Durante o lançamento do portal Alos, na abertura dos trabalhos do Congresso Nacional de Cartografia, no Rio de Janeiro, o diretor do IBGE informou que o acesso ao site é gratuito, mas a aquisição das imagens tem um custo associado equivalente a aproximadamente 125 dólares por imagem captada pelo satélite, independente do tipo e de cena adquirida.
"Esse custo, que está associado à distribuição da imagem, já prevê o uso científico e não comercial das cenas. O custo é extremamente reduzido", disse.



Nenhum comentário: