domingo, 11 de março de 2012

Mentiras, ameaças aos cidadãos, destruição da nação brasileira, fascismo estatal, criminosos com falta de respeito à Constituição Federal. A Receita Federal comemora recordes consecutivos. A arrecadação cresce em relação a períodos anteriores e também proporcionalmente ao PIB. Os recursos para a oferta de serviço de saúde pública de qualidade são transferidos generosamente pelos contribuintes que suportam incrível carga tributária, uma das maiores do mundo. A questão não é dinheiro e sim ausência de competência, organização e honestidade. Autorização dos assassinatos dos fetos é crime hediondo pois o feto não tem chance de defesa. E dizem que acreditam em Deus... Vejam os vídeos!

A presidente Dilma Rousseff segue o mesmo modelo do ex-presidente Lula que em oito anos de mandato não aplicou os recursos garantidos na Constituição Federal para a saúde e como consequência, seguem as filas intermináveis nos hospitais e as condições precárias em todo o sistema de saúde pública no país.

Além disso, por que Lula não está sendo julgado por crimes contra a humanidade, pois ele desarmou a população brasileira nos anos de seu governo e a quantidade de assassinatos no país foi de aproximadamente 400.000 pessoas assassinadas. Sem contar os acidentes de trânsito e as calamidades naturais como cheias e inundações.

Eles tentam manter a tentativa continuada dos governos do PT em estabelecer limites à liberdade de imprensa, com propostas que remontam a ditadura militar e o período Vargas.

Existem achatamentos salariais, falta de investimentos na educação que situam o Brasil ao lado das nações mais pobres da América Latina.

Perseguição à oposição, através de todos os meios obscuros de opressão e de cerceamento das liberdades.

Dá salários aos bandidos presos(!), dá direito à mulher, mais do que ao homem; contrariando o que diz a Constituição Federal - todos somos iguais em direitos e obrigações.

Está realizando um excelente trabalho em benefícios da potências estrangeiras!!!















Nenhum comentário: