quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

O BRASIL é maior do que os esquerdistas!!

A história inspiradora de como um povo se rebelou e impediu os comunistas de tomarem conta de seu país.

Raramente uma grande nação esteve mais perto do desastre e se recuperou do que o Brasil em seu recente triunfo sobre a subversão vermelha. Os elementos da campanha comunista para a dominação – propaganda, infiltração, terror – estavam em plena ação. A rendição total parecia iminente ... e então o povo disse: Não!

Esta narrativa conta como um povo defendeu resolutamente sua liberdade.
Mais do que isso, constitui um claro plano de ação para cidadãos preocupados em nações ameaçadas pelo comunismo.

O palco estava completamente armado e determinado o cronograma para a primeira fase da tomada do poder pelos comunistas. Nos calendários dos chefes vermelhos do Brasil – assim como nos de Moscou, Havana e Pequim – as etapas para a conquista do poder estavam marcadas com um círculo vermelho; primeiro, o caos; depois, guerra civil; por fim, domínio comunista total.

Havia anos que os vermelhos olhavam com água na boca o grande país, maior que a parte continental dos Estados Unidos e que contém 80 milhões de habitantes, aproximadamente metade da população da América do Sul.

Além de imensamente rico em recursos ainda inaproveitados, o Brasil era a enorme chave para todo o continente.

Como o Brasil se limita com 10 países – toda a América do Sul, exceto Chile e Equador – seu domínio direto ou indireto pelos comunistas ofereceria excelentes oportunidades para subverter um vizinho após outro. A captura deste fabuloso potencial mudaria desastrosamente o equilíbrio de forças contra o Ocidente.

Comparada com isso, a comunização de Cuba era insignificante.

Por fim estava tudo preparado. A inflação piorava dia a dia; a corrupção campeava; havia inquietação por toda a parte – condições perfeitas para os objetivos comunistas. O Governo do Presidente João Goulart esta crivado de radicais; o Congresso, cheio de instrumentos comunistas.

Habilmente, anos a fio, os extremistas da esquerda tinham semeado a idéia de que a revolução era inevitável no Brasil. Dezenas de volumes eruditos foram escritos acerca da espiral descendente do Brasil para o caos econômico e social; a maioria concordava em que a explosão que viria seria sangrenta, comandada pela esquerda e com um elenco acentuadamente castrista.

Os brasileiros em geral olhavam o futuro com a fascinação paralisada de quem assiste impotente à aproximação de um ciclone.

Uma expressão brasileira corrente era: “A questão não é mais de saber se a revolução virá, mas de quando virá”.

O país estava realmente maduro para a colheita. Os vermelhos tinham introduzido toneladas de munições por contrabando, havia guerrilheiros bem adestrados, os escalões inferiores das Forças Armadas estavam infiltrados, planos pormenorizados estavam prontos para a apropriação do poder, feitas as “listas de liquidação” dos anticomunistas mais destacados.

Luiz Carlos Prestes, Chefe do Partido Comunista Brasileiro, tecnicamente ilegal, mas agressivamente ativo, vangloriava-se publicamente:

“Já temos o poder, basta-nos apenas tomar o Governo!”

Amadores contra Profissionais

E ENTÃO, DE REPENTE – e arrasadoramente para os planos vermelhos – algo aconteceu. No último instante, uma contra-revolução antecipou-se à iniciativa deles. A sofrida classe média brasileira, sublevando-se em força bem organizada e poder completamente inesperado, fez sua própria revolução – e salvou o Brasil.

Sem precedentes nos anais dos levantes políticos sul-americanos, a revolução foi levada a efeito não por extremistas, mas por grupos normalmente moderados e respeitadores da lei.

Conquanto sua fase culminante fosse levada a cabo por uma ação militar, a liderança atrás dos bastidores foi fornecida e continua a ser compartilhada por civis.

Sua ação foi rápida (cerca de 48 horas do início ao término), relativamente sem derramamento de sangue (apenas uma dúzia de pessoas foi morta) e popular além de todas as expectativas.

Uma vitória colossal para o próprio Brasil, ela foi ainda maior para todo o mundo livre. Pois, como comentou um categorizado funcionário do Governo em Brasília: “Ela marca a mudança da maré, quando todas as vitórias pareciam ser vermelhas, e destrói completamente a afirmação comunista de que a “história está do nosso lado.”

Como foi, exatamente, que os brasileiros conseguiram esta vitória magnífica?
A história desta legítima revolução do povo – planejada e executada por amadores mobilizados para a luta contra calejados revolucionários vermelhos – é um modelo para toda nação analogamente ameaçada, uma prova animadora de que o comunismo pode ser detido de vez, quando enfrentado com energia por um povo suficientemente provocado e decidido.

“A Hora é Agora”

Alarmados com a perigosa deriva para o caos, alguns homens de negócio e profissionais liberais reuniram-se no Rio em fins de 1961, dizendo: “Nós, homens de negócio, não mais podemos deixar a direção do país apenas aos políticos.”

Convocando outras reuniões no Rio e em São Paulo, declararam: “A hora de afastar o desastre é agora, não quando os vermelhos já tiverem o controle completo do nosso Governo”.

Esse sujeito é agente implantador do socialismo macunaímico/bolivariano em nosso país
.
É um “intelectual” gramsciano, porque cooptador, disseminador e implementador da odienta hegemonia cultural esquerdista.

Está promovendo o caos pré-socialista, seguindo o Decálogo do Foro de São Paulo, como vemos abaixo:

1 – Controlar politicamente o Judiciário;
2 – Desmoralizar o Congresso;
3 – Amordaçar o Ministério Público;
4 – Arrochar a coleta de impostos de toda a ordem;
5 – Valer-se de dossiês para impor a vontade a banqueiros, empresários e adversários políticos;
6 – Direcionar a produção artística e cultural;
7 – Controlar a imprensa e a Internet;
8 – Instalar núcleos de ativistas em todos os órgãos da administração pública;
9 – Promover a instabilidade no campo;
10- Desmoralizar e desmantelar as Forças Armadas, criando forças paralelas e desarmar a população.

Qualquer semelhança com o que vem acontecendo atualmente, não é mera coincidência. E não custa citar também a origem deste manual, que é o Decálogo escrito pelo criminoso Lênin, já professor do assassino de mais de 60 milhões de russos, Stálin.

O Decálogo:
1 – Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual;
2 – Filtre e depois controle todos os veículos de comunicação de massa;
3 – Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sobre assuntos sociais;
4 – Destrua a confiança do povo em seus líderes;
5 – Fale sempre sobre Democracia e em Estado de Direito, mas, tão logo haja oportunidade, assuma o Poder sem nenhum escrúpulo;
6 – Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País, especialmente no exterior e provoque o pânico e o desassossego na população por meio da inflação
7 – Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do País;
8 – Promova distúrbios e contribua para que as autoridades constituídas não as coíbam;
9 – Contribua para a derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não-comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa socialista;
10 – Procure catalogar todos aqueles que possuam armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência à causa.

E também:

DEZ PRINCÍPIOS DA ESQUERDA:
1) um esquerdista crê que não existe moral (no fundo o esquerdista crê apenas na moral que o favorece, isto é, “não roubar” para os outros mas um esquerdista pode roubar à vontade).
2) o esquerdista promove o anti-convencional, violenta os costumes e prefere a descontinuidade.
3) os esquerdistas querem derrubar tudo que seja pré-estabelecido.
4) os esquerdistas agem com imprudência e irresponsabilidade.
5) os esquerdistas desejam a uniformidade universal – (todo mundo igual, exceto eles, quando estão no poder usufruindo dos privilégios).
6) os esquerdistas não se impõem limites e acreditam que podem melhorar, aperfeiçoar e acabar com as imperfeições de tudo, inclusive do próprio ser humano (“para fazer uma omelete há que se quebrar os ovos”, eles dizem, e partem para quebrar todos os ovos mesmo que não consigam fazer omelete alguma).
7) os esquerdistas são contra a liberdade e a propriedade – preferem a escravidão, embora a chamem por outros nomes: igualdade, responsabilidade social, justiça social, etc.
8) os esquerdistas impõem coletivismo forçado, você não existe como pessoa, mas como parte de uma massa que só obedece.
9) o esquerdista deseja o poder desmedido e a liberação de todas as paixões humanas (marxismo clássico e marxismo cultural).
10) o pensador esquerdista não quer estabilidade – prega a revolução perpétua.

TRADUZINDO A LINGUAGEM COMUNISTA
1.“”Você é pretensioso= Você ousa achar que sabe algo que eu não sei, e isso é um absurdo.
2.Vamos decidir democraticamente= Que tal se a gente parar de discutir idéias e ao invés disso fizer um concurso de popularidade?
3.Precisamos melhorar a educação no Brasil=Precisamos emitir mais diplomas para mais pessoas.
4.Precisamos proteger o grupo XXX de discriminação=Precisamos criar a ilusão de que quem não der dinheiro para mim odeia o grupo XXX.
5.Precisamos regulamentar a profissão XXX=Precisamos entravar ao máximo possível o acesso à profissão XXX para aumentar os privilégios de quem tiver autorização para exercê-la.
6.Se eu deixar você fazer isso vou ter que deixar todo mundo=Não existe nenhum motivo coerente para esta regra existir mas eu gosto dela.
7.Sua opinião também é válida=Vou ignorar completamente a sua opinião.
8.Essas são as tendências mais modernas nos EUA e na Europa=Eu li na revista Veja que uma vez em 1976 alguém tentou isso no Canadá.
9.Todo mundo sabe que XXX=Eu não faço a menor idéia de por que estou defendendo que XXX seja verdade.
10.E, por fim, mas não por último:

Há que se endurecer sem perder a ternura=Há que se perder a ternura mas sem admitir abertamente.””‘

Trecho extraído do livro 1984 de George Orwell:

“Saber e não saber, ter consciência de completa veracidade ao exprimir mentiras cuidadosamente arquitetadas, defender simultaneamente duas opiniões opostas, sabendo-as contraditórias e ainda assim acreditando em ambas; usar a lógica contra a lógica, repudiar a moralidade em nome da moralidade, crer na impossibilidade da Democracia e que o Partido era o guardião da Democracia; esquecer tudo quanto fosse necessário esquecer, trazê-lo à memória prontamente no momento preciso, e depois torná-lo a esquecer; e acima de tudo, aplicar o próprio processo ao processo.

Essa era a sutileza derradeira: induzir conscientemente a inconsciência, e então, tornar-se inconsciente do ato de hipnose que se acabava de realizar. Até para compreender a palavra “duplipensar” era necessário usar o duplipensar.“

O PT, PC DO B, PSB e etc fazem isto o tempo todo! Por isso é tão difícil combatê-los. E a maioria dos anti petistas tratam o PT como MAIS UM PARTIDO, o que é um grande erro.

Ele é um projeto de poder, a serviço das potências estrangeiras!!!

Nenhum comentário: