Translate

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Bolsas europeias registram perdas com front corporativo degradado

SÃO PAULO - Apesar de o Instituto Ifo ter mostrado alta na confiança do empresariado alemão durante janeiro, a 108,3 pontos, os setores de telecomunicações e de saúde pressionam os principais índices de ações da Europa, que registram queda na manhã desta quarta-feira (25), após terem aberto em alta.

O benchmark CAC 40, da Bolsa de Paris, apresenta uma das baixas mais relevantes, caindo 0,50%, aos 3.306 pontos. Enquanto isso, o FTSE 100, de Londres, opera em leve recuo de 0,40%, alcançando 5.729 pontos, e o índice DAX 30, da Bolsa de Frankfurt, observa perdas de 0,20%, aos 6.407 pontos.

Mas, um leilão de títulos públicos a ser realizado na Alemanha nesta jornada aparece como principal termômetro dos investidores no velho continente, podendo alterar a tendência negativa das bolsas. O tesouro do país vai emitir papéis da dívida com vencimento de 30 anos, e espera captar € 3 bilhões com a operação.

Front corporativo

Depois de a gigante de celulares Ericsson revelar que seu lucro líquido caiu pela metade entre outubro e dezembro do ano passado, suas ações despencavam 12,21%. Com essa notícia, as teles como um todo perfomavam no negativo pela Europa, com destaques para a francesa Alcatel-Lucent (-9,96%) e a finlandesa Nokia (-2,73%).

Já entre as drogarias, depois de a suíça Novartis (-3,46%) afirmar que 2012 deve ser um ano difícil para o setor, principalmente por causa a competição com os medicamentos genéricos, as principais quedas registradas pela manhã eram as da também suíça Roche (-2,49%) e da alemã Bayer (-0,79%).

Negociações com Grécia se arrastam

No dia anterior, as conversas entre o governo grego e seus credores privados falharam novamente em avançar, depois de o IIF (Institute of International Finance) pedir na segunda-feira que o rendimento dos novos bônus globais a serem emitidos pelo país sejam ao menos de 4%. Os ministros de Finanças da Zona do Euro rejeitaram a proposta, e cravaram em 3,5% essa taxa.

A instituição, que reúne bancos e financeiras em geral, teme que esse impasse gerado pela recusa das autoridades europeias cause maior turbulência no mercado financeiro, já que em março a Grécia já terá um forte volume de obrigações a pagar. Analistas acreditam que, quanto mais essa resolução demorar, mais perto os gregos ficaram perto de um default.

PIB britânico se contrai

O órgão oficial de estatísticas do Reino Unido divulgou nesta jornada uma contração de 0,2% em bases trimestrais para o PIB (Produto Interno Bruto) britânico durante o quarto trimestre de 2011. Já na comparação ano a ano, houve um crescimento de 0,8%.

Além disso, o BoE (Bank of England), autoridade monetária do Reino Unido, mostrou em ata da reunião de seu comitê que decidiu por unanimidade manter a taxa básica de juros em 0,5% ao ano, e seu programa de compra de ativos inalterado, em £ 275 bilhões. O Banco Central citou possíveis riscos que ainda rondam a atividade econômica, e podem causar deflação no país.

Nenhum comentário: